Universo particular | Capítulo 1

As escolhas de um jovem casal que usou a decoração para expor seu estilo

Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio.

O apê do Will Mazzola e da Beatriz Mischiatti fica em São Paulo e os dois cresceram na cidade, porém a história do casal começou bem longe daqui. Ele estava passando uma temporada em Lisboa e ela em Paris quando amigos em comum os apresentaram. Parece improvável viajar meio mundo para encontrar alguém que morava tão perto, mas são coisas do destino. Dos primeiros roteiros turísticos ao casamento, que aconteceu em 2013, foram cinco anos.

Com a data do casório definida eles precisavam encontrar o apartamento ideal de acordo com várias regrinhas que a maioria das pessoas usa, como o bairro, o andar ou as vagas na garagem. A busca foi racional, mas de certa forma afetiva também, já que depois de visitar quase 60 imóveis o casal finalmente se identificou com um de 86 m² na Pompéia. A área social espaçosa os conquistou e, além disso, o apê estava recém-reformado, com armários embutidos e revestimentos novos.

decoracao-historiasdecasa-universo-sala-estar-01

decoracao-historiasdecasa-universo-02

decoracao-historiasdecasa-universo-03

O Will é diretor de cena e a Bea é figurinista e personal stylist, então por trabalharem em áreas criativas os dois têm um talento natural para o garimpo de peças interessantes. A decoração em si não foi muito planejada, mas ambos adoraram o processo de caçar coisas que tivessem a cara deles. É claro que alguns itens geraram dúvida no começo, como o lustre feito com latas que hoje fica sobre a mesa de jantar, mas no final tudo foi se encaixando, inclusive os muitos objetos colecionados e trazidos de viagens. Foram seis meses entre a entrega das chaves e o casamento, logo esse tempo permitiu que as escolhas fossem feitas com tranquilidade.

Em tempos de casas cada vez menores esse pode parecer um problema pouco comum, mas o fato de a sala de estar ser ampla demais dificultou a procura dos móveis. É que as lojas mais acessíveis só têm opções enxutas e as versões maiores de outros fornecedores fugiam do orçamento do casal. A saída foi o Will desenhar o próprio rack e contratar um marceneiro para executá-lo. O mesmo dilema aconteceu com o tapete, só que ao invés de mandar fazer a Bea resgatou o modelo persa que estava guardado há tempos na casa de sua mãe e que está na família desde que ela era criança. Apesar do estilo clássico, ele combinou perfeitamente com o cômodo e ainda traz lembranças boas.

decoracao-historiasdecasa-universo-04

decoracao-historiasdecasa-universo-05

decoracao-historiasdecasa-universo-06

Até mesmo os “erros” deram certo no apartamento. A mesa de centro de madeira de demolição ficou pequena demais sobre o tapete, então ela foi deslocada para a lateral do sofá e virou uma ótima vitrine para os objetos mais queridos. Só que aí começou a busca por novas mesinhas, uma busca que durou quase um ano inteiro. Já o tambor que serve de apoio perto da varanda foi um achado surpreendente. Eles tinham visto referências parecidas na internet, mas sempre acharam essas peças muito caras nas lojas, até que em um belo dia cruzaram com um tambor esquecido em um posto de gasolina e fizeram negócio com o frentista. Depois foi só pintar de preto e pronto, tinham mais um móvel.

decoracao-historiasdecasa-universo-08

decoracao-historiasdecasa-universo-09

decoracao-historiasdecasa-universo-10

Tudo no apê é interessante e reflete a personalidade do Will e da Bea. Aliás, para ela isso é o grande sinal de que acertaram em cheio: “O melhor elogio para uma casa não é quando as visitas dizem que ela é bonita, mas sim quando reconhecem a cara dos moradores dentro do espaço. E todo mundo que entra aqui nos fala isso”. Eles gostam de coisas antigas, mas também de novidade; expõem muitas lembranças de viagens e bibelôs coloridos; colecionam de bonecos toy art a isqueiros e guardam com carinho brinquedos da infância. “Em cada canto que eu olho consigo ver uma parte da minha vida. Isso traz lembranças bacanas sempre, então é algo que acolhe”, completa Bea.

Quer ver mais? Volta quarta-feira aqui no blog para conferir o segundo capítulo dessa história.

Continua-final

Fotos por Will Mazzola

Deixe seu comentário 7 Comentários

  1. estou adorando acompanhar as histórias 🙂
    vocês sabem de onde é a mesa/carrinho onde estão os vinis?
    obrigada e beijos, lívia.

    Responder
    • Oi Lívia, tudo bom?
      Que legal, ficamos felizes em ler isso! <3
      O carrinho foi comprado pelo casal na loja Mix & Match, mas infelizmente ela não existe mais… Talvez você encontre algo desse tipo na À la Garçonne, que vende peças com essa pegada industrial – inclusive as mesas de centro desse apê são de lá… Tomara que você encontre!
      Beijos

      Responder
  2. Apaixonada pelos detalhes do ap

    Responder
  3. Ola…amei essa casa…Gostaria de saber onde compraram aquele brinquedo cheio de bolinhas,estou apaixonada.Obrigada!!!!

    Responder
  4. Tudo bem!!!Agradeço a atenção e o carinho.Por isso que amo esse cantinho.Beijos!!!

    Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags