Cheiro de mato | Capítulo 2

Um sítio no interior virou o aconchegante lar de uma família

Adriana Mendes Haddad, criadora do blog e da escola de culinária Ovos Quebrados, e Fabio Guimaraes Seabra, consultor financeiro, se mudaram para Campinas para que seus filhos tivessem mais qualidade de vida, porém a família inteira saiu ganhando. Com uma rotina completamente diferente da que levava em São Paulo, o casal aproveita muito as vantagens do interior, mas de vez em quando volta à capital para renovar as energias. Dri brinca que eles fazem o caminho contrário da maioria: “Ao invés de me recarregar no “ar puro”, eu me recarrego em Sampa! Adoro descobrir novos cantos por lá, visitar exposições, frequentar os cinemas…”.

O carinho pelo tempo passado na cidade levou a moradora a pintar as paredes da sala de TV atual com a mesmíssima tinta roxa usada no apartamento antigo, que ficava em Higienópolis – essa foi a maneira que ela encontrou de manter aquelas memórias vivas. Além disso, Adriana tem uma relação profunda com as cores. Para ela esse elemento tão simples é capaz de transformar completamente um ambiente: “Você primeiro precisa conhecer sua casa e só aí pode decidir que tons usar, mas também eu não tenho medo de arriscar. Errou, pinta de novo. Só não gosto mesmo é de bege… aquele bege chato, sabe?”.

decoracao-casacampo-historiasdecasa-22

decoracao-casacampo-historiasdecasa-24

decoracao-casacampo-historiasdecasa-25

decoracao-casacampo-historiasdecasa-26

Ainda na sala de TV, que futuramente servirá como uma pequena biblioteca, a chef de cozinha organizou os livros da família em prateleiras feitas com tábuas de madeira de demolição e mãos-francesas de ferro que trazem um ar romântico ao espaço. Em uma das paredes, duas molduras discretas guardam com todo o cuidado as criações de Lu Haddad, irmã de Dri e designer têxtil. As peças pertencem à coleção Borboleta, baseada nas memórias de Lu e produzida com broches e tecidos que foram de sua mãe e de sua avó – ou seja, é um trabalho cheio de sentimento.

Na mesma altura do living, o deque de madeira dribla o desnível do terreno e cria uma área ao ar livre totalmente integrada ao restante da casa. É ali que Adriana, Fabio, seus filhos e Maricota, a mascote, se reúnem nos dias de frio ao redor do fogo de chão com base de ferro. Já o canto relaxante sob a pérgola, coberta pela trepadeira sapatinho-de-judia, é usado de diversas maneiras, às vezes com a cadeira de balanço e uma xícara de chá, às vezes com o tapete de yoga e o silêncio do mato.

decoracao-casacampo-historiasdecasa-27

decoracao-casacampo-historiasdecasa-21-jardim

decoracao-casacampo-historiasdecasa-28

decoracao-casacampo-historiasdecasa-29

decoracao-casacampo-historiasdecasa-30

decoracao-casacampo-historiasdecasa-31

Repletos de detalhes pensados especialmente para os pequenos moradores da casa, os dormitórios das crianças são temáticos, porém de um jeito que foge do óbvio. A decoração dos dois cômodos ficou a cargo de Lu Haddad, tia coruja que escolheu as cores e ainda desenhou os papéis de parede dos sobrinhos do zero. No quarto da menina, a estampa foi inspirada na personagem Chapeuzinho Vermelho, que aparece em versão contemporânea; no do menino, o tema é o soldadinho de chumbo, uma das histórias preferidas dele e ainda uma referência ao tempo em que Dri e Fabio viveram em Londres.

decoracao-casacampo-historiasdecasa-32

decoracao-casacampo-historiasdecasa-33

decoracao-casacampo-historiasdecasa-34

decoracao-casacampo-historiasdecasa-35

decoracao-casacampo-historiasdecasa-36

decoracao-casacampo-historiasdecasa-37

Se precisasse definir as sensações que sua morada transmite ou a personalidade dos ambientes, Adriana resumiria exatamente assim: “Acho que temos uma casa, acima de tudo, informal e despojada, sem stress com os móveis e objetos. Tudo o que eu tenho é para ser usado, não guardo louças só para noites de festa, não tenho copos para dias especiais… Aqui sempre tem flores, tem velinha acesa, mas tem também jornal na cadeira, tem bagunça, tem comida no fogão… E tem muito verde! Essa natureza toda em volta da gente também vai refletindo nosso estilo de vida, nossa opção.”. Realmente, passar um dia na casa da Dri é como entrar em um universo diferente – a gente está de prova!

fim-final

Fotos por Luiza Florenzano

Deixe seu comentário 5 Comentários

  1. Muito bom ver pessoas que se inspiram na natureza, com muita delicadeza e carinho. um verdadeiro doce lar..parabéns historia de casa♥

    Responder
    • Obrigada Jane! 😉
      Ficamos super felizes em poder contar a história da Dri, porque além da casa linda, ela também é uma pessoa incrível!
      Esperamos que você acompanhe o blog…
      Beijos

      Responder
  2. Adorei a oportunidade de ler esta matéria . Conheci a Dri através do que lia no blog. Assim tive a chance de saber que vinha para campinas e então marcamos um encontro. Já fiz alguns cursos . Ela consegue transmitir muita paz, alegria e acima de tudo profissionalismo. Sua casa tem tudo a ver com minha vida. Amei este minuto de leitura.

    Responder
    • Oi Andrea, tudo bom?
      Realmente conhecer a Dri foi algo especial para nós também.
      Toda a energia positiva que ela transmite se reflete na casa e isso fez com que a gente quisesse contar essa história com todo o carinho. 🙂
      Mês que vem vamos publicar fotos da cozinha, que também é incrível! Não vai perder, rs…
      Beijos

      Responder
  3. Gente, que mesa liiinda que vcs usaram como escrivaninha no quarto do garoto! Onde posso achar?

    Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags