Cara de praia | Capítulo 1

Uma decoração despojada, com muitas plantas e luz natural

Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio.

Quem vê o apartamento da estilista Manuela Rodrigues pela primeira vez pode jurar que ele fica em uma cidade tranquila do litoral, porém o imóvel com clima de praia está a poucos metros de uma das vias mais movimentadas de São Paulo, a Av. Rebouças. O segredo para driblar o entorno agitado e montar um refúgio tropical em plena metrópole está na atmosfera leve criada pela moradora, que recorreu a móveis despojados, tecidos étnicos e uma coleção de vasos com folhagens variadas para trazer personalidade aos ambientes.

No terceiro e último andar de um prédio charmoso em Pinheiros, o apê alugado foi um achado do namorado de Manu, o chef de cozinha Chico Ferreira. Antes de ela se mudar para o endereço cerca de dois anos atrás, Chico já vivia no espaço e o compartilhava com um amigo, que hoje se tornou vizinho do casal. Pouco ligados à decoração, os rapazes passaram três anos com o básico do básico, sem nem pendurar quadros ou expor objetos, então a chegada da estilista gerou uma verdadeira revolução nos cômodos.

02-decoracao-sala-estar-plantas-boho

03-decoracao-sala-sofa-branco-praia

06-decoracao-livros-culinaria-mesa-centro

04-decoracao-sala-sofa-marrom-plantas

05-decoracao-plantas-prateleira-janela

A primeira intervenção de Manuela foram as plantas, espalhadas pela sala de estar, área de serviço e varanda dos fundos. Apoiadas em prateleiras sob a janela principal ou direto sobre o piso, elas trouxeram vida ao apartamento de imediato. Logo depois vieram os quadros e gravuras, agora devidamente pendurados, as almofadas coloridas e os tapetes, que contribuem para a sensação de aconchego. No hall de entrada a parede branca sem grandes atrativos ganhou frescor com a coleção de chapéus de palha e aos poucos todos os ambientes foram sendo preenchidos com muitos livros e itens garimpados pelo casal.

Por ser antigo o imóvel possui características únicas e muitas vantagens. Entre elas estão o pé-direito mais alto que o convencional, os cômodos amplos, as janelas de madeira e o sótão. Sim, por incrível que pareça o apê tem um sótão, acessado pela escada que fica logo na entrada, próxima à parede de tijolinhos rústicos. Manu chegou a montar ali o ateliê de sua marca de roupas e acessórios, chamada CABANA, porém conforme a procura pelos produtos cresceu ela precisou transferir o negócio para um espaço comercial – por sorte, seu escritório fica em uma sala do outro lado da rua, então basta atravessar e pronto.

07-decoracao-tijolinho-prancha-teto-hall

00-decoracao-parede-chapeu-palha-plantas

08-decoracao-parede-chapeu-palha-quadros

09-decoracao-parede-tijolinho-rustico

10-decoracao-parede-tijolinho-poster-verao

11-decoracao-porta-cortica-mural-ideia

12-decoracao-sala-jantar-madeira-plantas

13-decoracao-sala-jantar-quadros

15-decoracao-cozinha-integrada-praia-madeira

Apaixonado por surf e culinária, Chico só fazia questão de uma coisa na casa: um lugar para guardar suas pranchas e seus inúmeros livros de receita. Penduradas no teto com vigas de madeira que já existiam por meio de cordas ou apoiadas no piso de tacos, as pranchas trazem cor e completam o ar praiano da decoração. Já os livros foram reunidos em prateleiras no segundo quarto, utilizado como escritório e sala de TV. Nesse canto as plantas também estão presentes, assim como as referências étnicas, vistas na manta estampada que cobre parte do sofá e na lanterna japonesa de papel.

Móveis e objetos garimpados, como a mesa de jantar de madeira ou o lustre da bancada redonda da cozinha, são complementados por peças herdadas ou reaproveitadas, como o sofá que pertenceu à irmã da moradora. Tudo sem muita regra ou preocupação: “Gosto de ambientes com história, então não queria um apartamento todo certinho. Casa para mim tem que ter alma e, acima de tudo, ser confortável e convidativa, sem muitas frescuras para poder se adaptar à vida daqueles que a habitam.”, resume Manuela.

16-decoracao-varanda-plantas-quarto

17-decoracao-varanda-porta-balcao

18-decoracao-escritorio-prateleira-escrivaninha-antiga

19-decoracao-escritorio-prateleira-livros

20-decoracao-manuela-rodrigues-cabana-moda

Manu e Chico amam viajar e vão para a praia quase todo final de semana, mas eles também aprenderam a trazer um pouquinho desse clima descomplicado e pé na areia para a rotina de todo dia. “Nosso apê reflete nosso jeito descontraído de ser. Além de ele estar em constante mutação, sempre evoluindo com a gente, aqui nada é rígido ou pretensioso.”. Isso sim é morar com liberdade!

Clique abaixo para ler a continuação da história do casal. O Capítulo 2 mostra o ateliê lindo da moradora… Não dá pra perder!

Continua-final

Fotos por Luiza Florenzano

Deixe seu comentário 5 Comentários

  1. Está aí uma casa que fez MUITO juz ao título! Achei super cara de praia mesmo!

    beijos
    https://oladobeldavida.wordpress.com/

    Responder
  2. A casa mais linda e aconchegante que já vi

    Responder
  3. Adorei a simplicidade e leveza dos ambientes!

    Responder
  4. Amei..me inspirou muito!!!

    Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags