Traço industrial | Capítulo 1

Um apartamento que homenageia o estilo preferido do morador

Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio. 

Transformar um apartamento antigo com um layout ultrapassado em um loft moderno e totalmente integrado não é das tarefas mais fáceis, porém o publicitário Bruno Yantob Toporovschi nunca duvidou do potencial de seu apê de 106 m² na Santa Cecília. Isso porque desde o início ele soube que o imóvel tinha poucas colunas e, portanto, permitia uma abertura completa dos espaços – além disso, o pé-direito de 3 metros era outro ponto a favor. “Eu sempre curti esse estilo loft, com ares de galpão industrial. Que é muito diferente da casa dos meus pais, mais colorida e tradicional. Aqui optei por algo bem mais despojado e urbano”, ele conta.

Depois de pesquisar mil e uma referências em sites e revistas de arquitetura, Bruno já sabia exatamente o que queria fazer no apartamento – o único problema era executar as mudanças mais pesadas. Foi aí que ele convidou seu amigo Daniel Winter, do DWArquitetura, para tocar a reforma. Após alguns meses de obra, o apê que originalmente tinha dois quartos, apenas um banheiro e pouca iluminação, virou um verdadeiro loft com ambientes amplos, divisórias de vidro para trazer luminosidade, um lavabo charmoso e muito conforto para o morador e seu mascote, o cachorrinho Xito.

A mudança mais impactante de todas foi o redimensionamento da área externa. Antes o quintal era maior, porém criava um ‘dente’ na planta, então Bruno e Daniel encontraram uma maneira de incorporar parte desse espaço à sala, criando uma área de jantar bem mais iluminada e com boa circulação. Para fazer o fechamento na cobertura foi instalado um telhado de vidro com esquadrias pretas que segue a mesma linguagem das portas de serralheria – outro desejo do morador. “Eu gosto muito do teto de vidro e do jardim interno. Eles trazem luz e aconchego ao ambiente e fazem com que o apartamento tenha um aspecto de casa de vila, que se mistura com o estilo industrial”, Bruno diz.

Começando pelo quintal, mas migrando também para outras partes do apê, as plantas são o grande xodó do publicitário. “Elas já viraram quase uma mania. Vejo uma planta legal e compro para incorporar. Acho que trazem cor e vida para a casa. Quanto mais seres vivos tivermos ao nosso redor, mais leve a nossa vida e o nosso dia a dia ficam”. Os quadros e pôsteres também são peças queridas do morador, muitos deles trazidos de viagens para lugares distantes, como o Japão e a Tailândia. “Na verdade, em cada cantinho do apartamento eu tenho lembranças de alguma viagem ou de algum momento especial”, ele completa.

Bruno tem um trabalho criativo que requer a busca constante por tendências, por isso ele vive cercado de referências interessantes – e seu loft é prova viva dessa influência positiva. A decoração é pessoal nos detalhes, mas a reforma foi essencial. Com ela, tudo mudou: “No meu briefing para o arquiteto eu disse: ‘Quero abrir a porta e ver o apartamento inteiro’, e isso aconteceu. Agora com o espaço aberto a decoração vai se encaixando e a casa se torna aconchegante e moderna ao mesmo tempo”. * Ficou com vontade de ver mais fotos? Leia o Capítulo 2 clicando no Continua!

Fotos por Luiza Florenzano

CONTINUA

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


COMENTÁRIOS # 12

  1. Adorei!!!

    Responder
  2. Apaixonada <3 pelas portas de serralheria para área externa, são demaiiiiissss!!!!!

    Responder
  3. Tem a indicação de quem executou a serralheria?

    Responder
  4. Bom dia! Tudo bem? Sabe onde ele comprou o tapete da sala? Obrigada! Bjs

    Responder
    • Oi Kateline, tudo bom?
      O morador nos contou que esse tapete foi herança de família, então infelizmente ele não faz ideia de onde foi comprado. Dessa vez vamos ficar devendo… 🙁

      Responder
  5. Nossa, essa mesa de centro de ferro com rodinha, sabe onde ele conseguiu?? Queria na verdade um rack assim.

    Paula

    Responder
    • Oi Paula, tudo bom?
      Se não me engano, ele mandou fazer inspirado por um modelo que viu em uma loja. Mas talvez você encontre algo com esse clima na Tok Stok.
      Beijos

      Responder
  6. Fantástico!!! Adorei o trabalho em cimento queimado, difícil encontrar um bom profissional no Rio que faça.
    Alguém indica?!

    Responder
    • Oi Rogerio, tudo bom?
      Infelizmente não conhecemos muitos contatos no Rio. 🙁
      Mas boa sorte!!! Beijos

      Responder

NOS VEMOS NO INSTAGRAM
@historiasdecasa