Pequenas grandes mudanças | Capítulo 1

Um casal que transformou o clima do apartamento sem precisar de reforma

Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio. 

É impressionante como a decoração é capaz de transformar completamente um espaço. Antes de se tornar o lar da gerente de vendas Julia e do engenheiro Adriano, esse imóvel com ares de loft no charmoso Edifício Louveira, em Higienópolis, era ocupado por um morador com um estilo muito diferente do deles. (Inclusive nós também publicamos a história dessa antiga fase do apê no comecinho do blog, vale conferir para ver as mudanças que aconteceram desde então). Sem precisar de reformas ou outras intervenções na parte arquitetônica, o casal inseriu sua personalidade em cada pedacinho do apartamento com muito bom gosto.

Na verdade, ter uma casa onde os dois se reconhecessem foi o que os motivou a mudar para esse endereço em primeiro lugar. “Decidimos morar juntos e queríamos algo com a nossa cara. Eu já conhecia o prédio e sempre que passava por aqui ficava curiosa olhando e pensando como seriam os apartamentos. A escolha desse apê, no entanto, foi ao acaso. Estávamos procurando um imóvel de um quarto só, mas com boa metragem, aqui no bairro e esse foi o único que apareceu. Bati o olho e fiquei animadíssima, o Adriano idem. Foi tipo entrar em um lugar e sentir: é aqui!”, Julia diz. E foi mesmo. Em menos de um mês o casal já estava estreando a nova casa.

A arquitetura impressionante do Ed. Louveira, projetado em 1946 por Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi, permite que os ambientes aproveitem ao máximo a luz natural e a paisagem no entorno. No apê do casal, por exemplo, as janelas de ponta a ponta emolduram as copas das árvores do jardim no térreo. “Quando vimos o apartamento, foi amor à primeira vista. O engraçado é que a decoração na época era bem diferente do nosso estilo, mas o espaço em si era perfeito. Tudo aberto, com janelões e muita luz. A gente já podia se imaginar morando ali”.

Algumas peças do antigo morador foram mantidas, como a estante dividindo a sala integrada, porém até mesmo nesse caso Julia e Adriano conseguiram dar uma nova cara ao móvel apenas com seus objetos e itens queridos. O casal conta que nunca buscou um estilo específico – eles foram criando o espaço aos poucos com coisas com as quais se identificavam. “Buscamos sempre deixar um clima aconchegante, aquela sensação que dá vontade de ficar em casa. Acho que isso é muito pessoal, mas foi o nosso norte”, Julia explica. Foi assim que surgiu o cantinho repleto de almofadas perto da porta de entrada, inspirado nos lares árabes – e hoje ele é um dos preferidos do casal.

Apaixonados pelo design brasileiro, Julia e Adriano investiram em alguns móveis consagrados para completar a decoração: as poltronas Tetê, de Sergio Rodrigues, e a poltrona Diz, também dele, são especiais – a última foi um presente surpresa de dia dos namorados para Julia. A fotografia Vermelho, de Lívia Aquino, e a jabuticabeira trazida do antigo endereço são outros xodós da moradora. E isso sem falar nos objetos garimpados nas viagens do casal pelo mundo, como o narguilé de Beirute, uma estátua comprada em Bali, uma fotografia da Tanzânia… “Essa viagem foi memorável! Subimos o Kilimanjaro e depois fizemos um safari no Norte do Serengeti, divisa da Tanzânia com o Quênia”, ela lembra.

Julia e Adriano são desprendidos, gostam de viajar e amam a liberdade – e de certa maneira seu apartamento reflete todos esses conceitos. A ausência de paredes, a abundância de luz natural e a presença do verde remetem ao espírito livre do casal. “Aqui em casa gostamos de curtir nossos momentos juntos e com pessoas queridas, e trazemos em cada cantinho nossas memórias”. * Quer acompanhar a continuação da história? Então clica no ‘Continua’ aí embaixo.

Fotos por Luiza Florenzano

CONTINUA

ONDE ENCONTRAR

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


COMENTÁRIOS # 12

  1. Que ap,hein! Gostaria de saber de onde é esse macaquinho de madeira que aparece pendurado em um dos quadros da sala. Obrigada. bjos!

    Responder
    • Oi Adriane, tudo bom?
      Esse macaquinho já é super famoso. Foi criado pelo designer Kay Bojesen nos anos 50, acredita? Tenho quase certeza que a moradora comprou o dela em uma viagem, mas por aqui você encontra à venda na Scandinavia Designs: http://bit.ly/2fdOD9l
      Beijos

      Responder
      • Exato! Compramos em Copenhagen! Mas na Scandinavia Designs você encontra essa e outras peças do mesmo Designer.

        Responder
  2. Olá, tudo bem? Gostaria de saber de onde é esse tapete 🙂 Obrigada!

    Responder
  3. Amei essa estante! Eh modular?

    Responder
    • Oi Renata, tudo bom?
      Quando a moradora alugou o apto, a estante já veio junto, então não sabemos dizer de que loja é. Mas é modular sim.
      Beijos

      Responder
  4. Adorei as peças na mesa de café, parecem azulejos. Onde posso comprar?

    Responder

NOS VEMOS NO INSTAGRAM
@historiasdecasa