Decoração com ar minimalista

Apartamento sem excessos e com boas soluções de arquitetura

O aconchego é um conceito muito pessoal. Há quem o encontre em uma casa cheia de objetos e paredes ocupadas, mas há também quem prefira um lugar sossegado, com menos informação e pegada minimalista. Os advogados Daniel e Natasha se encaixam nesse segundo grupo: “Pensamos em nosso apartamento como um lar onde podemos encontrar a paz, a tranquilidade e o relaxamento que muitas vezes a cidade tira de nós, e isso se reflete nas paredes brancas, nos poucos móveis e objetos, e nas cores discretas. Tem sido muito prazeroso voltar para casa e usufruir desse cantinho tão confortável e harmonioso.”, o casal diz.

Dispostos a aproveitar ao máximo as qualidades que o apartamento oferecia, Daniel e Natasha não tiveram medo de encarar uma reforma daquelas. Porém, como eles não trabalham nessa área, várias dúvidas surgiram assim que compraram o imóvel em Perdizes. O piso de tacos, por exemplo, encantou a moradora, mas será que ele suportaria uma restauração? E o que fazer com o famigerado banheiro de serviço? Será que daria para integrar a cozinha e a sala? Quem sanou todas essas questões e propôs ótimas soluções de aproveitamento de espaço foi a arquiteta Tatiane Waileman, responsável pelo projeto.

O prédio é de 1980 e o apartamento nunca havia passado por reformas, então muitos dos acabamentos já estavam desgastados. Por isso, além de fazer adaptações na planta original, Tatiane precisou considerar a substituição de revestimentos. O taco felizmente pôde ser restaurado sem danos, e hoje é um dos detalhes que os moradores mais amam no apê. Durante a obra, a porta do banheiro de serviço foi invertida para o lado da sala, dando origem a um lavabo, e a parede que dividia a cozinha e a sala foi parcialmente removida, trazendo amplitude e mais luminosidade. Mas essas não foram as únicas mudanças.

Ainda na cozinha, todo o mobiliário embutido e os revestimentos antigos foram retirados e substituídos por versões mais modernas. Além disso, a posição do fogão também mudou com a criação de uma ilha central que permite uma interação maior entre os espaços. Na sala, a televisão não é o centro das atenções, pois Daniel e Natasha queriam que o ambiente funcionasse mais como um lugar para receber, então eles abriram mão do tradicional rack em troca de uma prateleira estreitinha e discreta. “Com essa área livre de móveis de apoio para a TV, podemos colocar mais assentos e mesinhas”, explicam.

Daniel e Natasha brincam que vieram de famílias grandes e que por isso não possuem muitos móveis ou itens herdados – afinal, são tantos parentes para compartilhar que não sobraram muitas relíquias para eles. A maior parte do mobiliário é nova e foi comprada especialmente para o apartamento, porém muitos dos objetos carregam histórias de viagens feitas pelo casal. Eles têm uma pequena coleção de bonequinhas Matrioska, artesanatos em madeira de Moçambique, almofadas da Índia e cerâmicas da Ilha de Marajó. Peças trazidas na mochila, com todo o carinho do mundo.

Luz natural de sobra, a combinação da madeira com o branco e uma decoração com bastante espaço para crescer. Assim é o lar do casal. “Apesar de ser um lugar que tivemos de ocupar do zero, o apartamento é acolhedor para nós porque tudo o que está nele escolhemos de forma refletida. Aos poucos estamos preenchendo cada canto de maneira pessoal”, eles definem.

Fotos por Luiza Florenzano

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:


COMENTÁRIOS # 10

  1. que casa linda! a sensação realmente é de paz 🙂
    sabem de onde é o tapete da sala, meninas?
    bjs

    Responder
    • Oi Camila, tudo bom?
      Esse tapete é o máximo! Foi comprado em uma viagem, é da marca gringa West Elm. Beijos

      Responder
  2. Amo apartamentos assim, aconchegante e fácil de limpar. Medida certa para o sossego merecido ao retornar para casa.

    Responder
  3. E esse sofá maravilhoso, de onde é?

    Responder
  4. Que lindeza!

    Responder
  5. Lindo como sempre ❤️

    Responder
  6. Tá lindo!!!! Adoro decoração. O legal é que fica impresso na decoração o jeito dos moradores. O amor fica impresso!!!!

    Responder
  7. Olá! Lindo apartamento e lindo trabalho de vocês.
    Vocês saberiam qual é a espécie da planta pendente da sala?
    Obrigada.

    Responder
    • Oi Luana, tudo bem? Incrível o projeto da Tati né? Acredito que a planta seja um filodendro, mas normalmente eles gostam de menos luz. Beijos

      Responder

NOS VEMOS NO INSTAGRAM
@historiasdecasa