Feito a quatro mãos | Capítulo 1

Soluções de reaproveitamento e móveis despojados dão vida a esse apê alugado

Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio.

Antes mesmo de entrar no apartamento da ilustradora Kalina Juzwiak e do designer Marcos Korody, já dá para perceber que esse prédio não é igual aos outros e que vem coisa boa por aí. O próprio trajeto do térreo ao terceiro andar vira uma surpresa dentro do elevador com parede de vidro deixando à vista um imenso grafite ao fundo. Quando a porta do hall se abre, a luz natural revela ambientes aconchegantes e totalmente integrados, dando a impressão de que os 70 m² originais dobraram de tamanho. Com doses certeiras de cor, móveis de medidas enxutas e objetos de reuso, os dois criaram uma morada que reflete fielmente seu estilo de vida.

Cada qual a seu tempo, quase todo casal chega ao momento de juntar as escovas de dente. Para Kalina e Marcos essa vontade foi crescendo aos poucos, já que eles sempre quiseram ter um lugar onde pudessem criar livremente e organizar as coisas do seu jeito. Em 2013, quando estava pensando em deixar a arquitetura para se dedicar totalmente à arte, Kalina resolveu ficar uma temporada no exterior. Ao todo foram sete meses fora, sendo que no meio desse período Marcos viajou para encontrá-la e os dois passaram um mês dirigindo pelo leste da França, conhecendo cidades lindas. A viagem foi tão incrível que lá mesmo eles decidiram que deveriam finalmente morar juntos.

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-02

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-03

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-04

Enquanto a ilustradora estava fora do Brasil, Marcos começou a procurar um apê para alugarem, mas como essa tarefa nem sempre é fácil ele teve que visitar dezenas de opções e fazer uma pré-seleção, já que Kalina não conseguiria conhecer todos. A princípio a ideia do casal era viver em um bairro central e movimentado, tipo a Vila Madalena, porém os imóveis da região eram pequenos e tinham preços estrondosos. Ambos precisariam trabalhar em casa, por isso acharam melhor abrir mão da localização dos sonhos em troca de espaços maiores que acomodassem um home office sem aperto. Se, além disso, ainda encontrassem um prédio com muitas janelas e boa infraestrutura, como academia e piscina, seria perfeito. E não é que eles acharam?

Depois de tantas visitas e algumas decepções, uma corretora os levou ao MaxHaus em que moram hoje. Segundo eles, foi só abrir a porta para dizer “É esse!”. O engraçado é que o sentimento foi instantâneo e mútuo, como se fosse obra do destino que os dois chegassem ali. Em um ponto alto da zona sul, o apartamento tem uma vista privilegiada da cidade e fica na altura da copa das árvores ao redor. Outro atrativo foram os acabamentos modernos e fáceis de cuidar: piso de cimento queimado, teto de concreto aparente, parede de pastilhas na cozinha… O proprietário, que também estava disposto a investir em alguns detalhes para melhorar os cômodos, ainda deu liberdade para que o casal fizesse diversas alterações na decoração – todas discutidas e aprovadas com antecedência, é claro.

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-01-cores

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-06

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-08

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-07

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-09

No começo o apê não tinha quase nenhum móvel, somente o colchão de casal e uma mesa de jantar que era também onde eles trabalhavam. Com apenas o necessário, Kalina e Marcos moldaram o restante dos ambientes aos poucos, sem pressa e tentando reaproveitar ao máximo materiais ou objetos de descarte. (Vamos falar mais sobre esse assunto no Capítulo 2, aguardem!)

A primeira grande mudança estrutural foram os trilhos instalados no teto para otimizar o projeto de iluminação. Depois foi a vez das paredes do escritório ganharem tinta preta com acabamento de lousa e da porta do banheiro, pintada de azul claro. A pequena varanda ligada à cozinha precisava de um fechamento de vidro, pois em dias de chuva ou vento forte o local não podia ser aproveitado, então o proprietário topou fazer esse investimento. Ele também permitiu a instalação de novos armários desenhados pelos atuais moradores. Com o tempo, até mesmo as cortinas pretas foram substituídas por modelos brancos, mais leves e discretos.

Após a alteração da varanda, que funciona ainda como área de serviço, o casal aproveita bem mais esse cantinho. Marcos criou ali uma horta para cultivar temperos usados nos deliciosos pratos que prepara ao lado da namorada. Para o designer esse processo é como uma terapia, enquanto ele cuida das plantinhas, elas cuidam do bem-estar de seus “donos”. Essa rotina saudável e a liberdade de colocar a mão na massa eram tudo o que eles queriam! Afinal, nada se compara ao sentimento de conforto e recompensa que conquistam ao inventar algo na casa ou colher ervas fresquinhas.

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-10

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-11

decoracao-historiasdecasa-maxhaus-comtijolo-12

O olhar artístico de Kalina e sua intimidade com as tintas a ajudaram a escolher as cores da decoração sem demora. Na verdade a combinação de tons foi decidida antes mesmo de terem um endereço definido. “Quando ainda estava no exterior, ela me mandou uma mensagem que dizia: “Pensei na paleta de cores do nosso apartamento. Você gosta?”. Uma foto com amarelo, azul turquesa, cinza, preto e branco veio junto da nota. Desde então, sempre que o assunto é o apê, nós vivemos e buscamos itens que conversem com essa mistura.”, lembra Marcos.

Como para muitos jovens casais que acabaram de deixar a casa dos pais, esse apartamento representa independência. Além disso, cada canto tem uma história e foi feito com carinho. Em todos os sentidos, é um lar afetuoso e acolhedor: “Quando chegamos depois de um final de semana fora ou de uma viagem, sempre falamos: “Oi casinha, estávamos com saudades!”. Este é o lugar em que relaxamos, sorrimos e nos sentimos à vontade para agir da forma que queremos.”

Quer saber mais sobre a rotina do casal e suas escolhas cotidianas? A Kalina e o Marcos registram essa experiência de morar junto em seu blog, o Com Tijolo – passa lá. Ah, e aguarde o Capítulo 2, que será publicado ainda essa semana.

Continua-final

Fotos por Rafaela Paoli

Deixe seu comentário 7 Comentários

  1. A combinação de cores realmente ficou ótima, harmoniosa, agradável!

    Responder
  2. Lindo!!!! De onde é esse papel de parede?????

    Responder
  3. Queria ver esta lavanderia direito.

    Responder
    • Oi Sandra,
      Infelizmente nem sempre conseguimos ângulos legais para fotografar os espaços. 🙁
      Uma pena, mas sempre tentamos mostrar o máximo que conseguimos, rs.
      Beijos

      Responder
  4. Uma lindeza, adoro tudo nos empreendimentos da MaxHaus.

    Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags