Herança de família

Após a reforma o apartamento antigo ganhou integração e acabamentos modernos

Carregado de memórias, o apartamento de Vanessa Fonseca Gonçalves e Dante Calligaris não é como outro qualquer. Durante muitas décadas o lugar pertenceu aos avós do morador, que foram um dos primeiros casais a ocupar o prédio após sua construção. Se essas paredes pudessem falar, contariam histórias de várias gerações: as brincadeiras de infância do pai e do tio de Dante; os almoços de domingo da Dona Odette, sua avó, com direito a pastelzinho preparado na hora; a reforma feita em meados de 2012; as experiências de Vanessa com as panelas…

O engraçado é que tudo aconteceu meio por acaso. Quando decidiram juntar as escovas de dente após oito anos de namoro, Vanessa e Dante nem imaginavam que um dia viveriam debaixo do mesmo teto em que Dona Odette foi tão feliz ao lado do marido. Sua ideia inicial era comprar uma casa de vila, porém com o tempo eles descobriram que seria praticamente impossível encontrar um imóvel que os encantasse e que coubesse no orçamento. O sonho, então, precisou ser adaptado. Por coincidência, o antigo apê da família havia sido colocado à venda nessa mesma época.

“A gente já gostava muito do local, o condomínio parece de interior, o apartamento tem pé-direito alto e ambientes espaçosos, além da lembrança da avó de Dante, que se mantém viva.”, conta Vanessa. Filha de italianos e apaixonada por culinária, Dona Odette tinha o perfil clássico de uma vovó: cozinhava, costurava, conversava o tempo todo, preparava os pratos preferidos de cada um… Quando ela faleceu Vanessa e Dante herdaram sua máquina de costura, um relógio cuco, o rolo de macarrão que ela tanto usava e o livro de receitas, um verdadeiro tesouro!

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-02

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-03

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-04

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-05

Apesar de adorar a estrutura do apê, o casal sabia que a reforma era inevitável. Afinal, além de trocar acabamentos, eles também precisavam adaptar os cômodos à vida moderna, que pede menos divisórias e mais interação. O encarregado de transformar o imóvel em um lugar aberto e iluminado foi o designer de interiores Marcel Steiner, que fez exatamente o que Vanessa queria: uma cozinha que se mistura com a sala, que se mistura com o escritório e por aí vai. É verdade que a obra trouxe algumas surpresas, como as colunas de concreto que não puderam ser removidas e por isso viraram parte do projeto, mas até que depois os moradores se acostumaram com o visual inacabado.

Os outros revestimentos já estavam meio definidos na cabeça de Vanessa e Dante. Ambos gostariam de usar ladrilhos hidráulicos, porém a dúvida surgiu na hora de escolherem a estampa. Enquanto ela preferia algo delicado e em tons discretos, ele se interessava mais pelos modelos psicodélicos e chamativos. No fim das contas quem ganhou foi o climinha de “casa de vó” – como o piso foi aplicado em uma área grande e de uso intenso, melhor que a padronagem não fosse muito cansativa mesmo. A mesma lógica valeu para a seleção das cores dos móveis e gabinetes, que trazem um suave verde menta.

na-cozinha-heranca-de-familia-historiasdecasa-ladrilho

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-06

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-07

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-08

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-09

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-10

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-11

O dom para a culinária também vem de família, mas a moradora demorou a perceber isso. Apesar de ter pais que cozinham muito bem, uma irmã que é chef e outra que adora se aventurar com as panelas, Vanessa só foi se dedicar a esse hábito após o casamento – até então sua única especialidade eram omeletes. “Quando casei, ninguém botava muita fé de que eu iria cozinhar. Na época ligava para minha mãe ou para minha irmã pedindo dicas e receitas, às vezes até mostrando o forno pelo celular para checar com elas se estava tudo certo, mas hoje isso é a minha terapia. Agora a cozinheira da casa sou eu e o Dante fez questão de pendurar a letra V na parede do fogão para não restar dúvidas.”, brinca ela.

Uma das coisas que Vanessa mais gosta de preparar é bolo. Bolos simples mesmo, sem extravagâncias, desses que a gente toma acompanhado de um café ou de uma xícara de chá e que deixam um aroma gostoso quando estão assando no forno. Talvez ela nem tenha se dado conta, mas essa paixão vem lá da infância, de quando sua avó fazia bolinhos de banana e ela chegava correndo da escola só para comê-los ainda quentinhos. A iguaria era tão disputada que a vovó precisava separar quantidades iguais em 3 pratos para que não houvesse briga entre as irmãs.

E já que o assunto é doce, que tal aprender uma receita de Bolo de Capim Santo? Veja os ingredientes e etapas após as fotos e bon appétit!

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-13

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-14

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-15

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-16

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-17

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-18

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-19

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-20

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-22

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-24

decoracao-cozinha-historiasdecasa-ladrilho-25

Bolo de Capim Santo

Ingredientes:

• 3 ovos
• 1 xícara de chá de açúcar
• ½ xícara de chá de óleo
• 1 copo de iogurte natural
• 2 xícaras de chá de farinha de trigo
• 1 colher de sopa de fermento
• 10 folhas de capim santo batidas com ½ xícara de chá de leite no liquidificador e depois coadas

Preparo:

Bata os ovos, o açúcar, o iogurte e o óleo no liquidificador. Em uma tigela, junte a farinha com essa mistura e depois o leite batido com o capim. Por último, adicione o fermento e despeje tudo em uma forma untada com manteiga e açúcar. Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC.

.

Fotos por Isadora Fabian

Deixe seu comentário 27 Comentários

  1. This home is decorated with lot of love and it reflects exactly that. Simple & Lovely 🙂

    Responder
  2. Adorei a parede lousa na porta, ficou super charmoso e descontraído, harmoniza muito bem com o restante da decoração.
    🙂

    Responder
  3. Casa linda, com uma atmosfera de lar e de muito amor

    Responder
  4. Adorei o ape! Vcs sabem da onde são as cadeiras da sala?

    Responder
  5. casinha linda! adorei as cores! amei a cozinha!

    Responder
  6. Olá! Onde se encontra essa prateleira sobre a pia?!

    Responder
    • Oi Michelle, tudo bom?
      Todo mundo está curioso para saber da prateleira, rs.
      Ela é da loja Metal Stock. Veja mais no site: http://www.metalstock.com.br/
      Beijos 🙂

      Responder
      • Entrei em contato com a Metal Stock para fazer o orçamento, mas eles me disseram que o escorredor de pratos eles não fazem. Sabe me dizer se eles colocaram um escorredor comum apoiado na prateleira? rssss Adorei, quero igualzinho na minha casa!!!
        Muito obrigada.
        Beijos

        Responder
        • Oi Renata, tudo bom?
          Na verdade pelo que lembramos o escorredor parecia acoplado mesmo à estrutura. Será que eles tiraram o escorredor da linha? De qualquer forma, acho que também funciona se você apoiar um modelo comum sobre a prateleira, afinal ela é vazada então não acumularia água.
          Boa sorte! Beijos

          Responder
  7. Estou loucamente apaixonada por essa casa <3

    Responder
  8. This apartment is amazing! Especially this minty kitchen <3

    Responder
  9. Amo vocês me inspiro muito, vou colocar estás prateleiras na minha cozinha. A tempos estou procurando algo assim.
    Sei que é pedir muito, mas sabem qual é a altura que elas foram fixadas?
    Obrigada!

    Responder
    • Oi Juliane, tudo bom?
      Que ótimo jeito de começar o dia lendo esse seu comentário fofo. Obrigada!
      Não sabemos a altura exata das prateleiras, mas pelas imagens nos parece que elas foram fixadas entre 55 e 60 cm acima da bancada.
      Seguindo uma altura similar você com certeza terá um bom resultado, elas só não podem ser profundas demais!
      Boa sorte.
      Beijos

      Responder
  10. Obrigada! Vou seguir o conselho.

    Responder
  11. Casa lindíssimaaa e inspiradora!

    Responder
  12. Olá, adorei a casa… Muito linda !
    Qual o material da pia?
    Obrigada, e parabéns pelo site..

    Responder
    • Oi Cecilia, tudo bom?
      Nós também somos apaixonadas por esse apê.
      A bancada da pia é de concreto — normalmente o material recebe produtos que o tornam mais resistente à água.
      Beijos

      Responder
  13. Gostaria de saber de onde é a lousa da porta. Obrigada

    Responder
    • Oi Clei, tudo bom?
      Na verdade a lousa é a porta! Ela foi pintada com uma tinta preta especial para lousa — várias marcas de tinta convencionais já possuem versões desse tipo. 🙂
      Beijos

      Responder
  14. Lindo ap, cores que conversam perfeitamente. Gostaria de saber se o pingente de balõezinhos atras da porta é de crochê.

    Responder
    • Oi Reilany, tudo bom?
      Realmente essa cozinha é o máximo! O detalhe perto da porta é artesanal sim, feito com lã colorida, porém não sabemos confirmar 100% se a técnica usada foi o crochê.
      Beijos

      Responder
  15. Gostei muito! Mas quero como fazer a pia de concreto?

    Responder
    • Oi Sandra, tudo bom?
      Normalmente as bancadas de concreto são moldadas no próprio local da obra, então é importante procurar uma mão-de-obra que tenha experiência nesse tipo de serviço.
      Beijos

      Responder
  16. Olá! Gostaria de saber qual o material dos gabinetes da cozinha, amei a cor! 😉

    Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Na Cozinha

Tags