Patchwork de memórias | Capítulo 2

Surpresas sem fim em um apartamento com muita personalidade

Cores, quadros, plantas e livros, muitos livros. Para onde quer que se olhe, o apartamento de Roberta Ferraz e Marcelo Ferreira de Oliveira reserva surpresas e histórias, sem moderação. Essa mágica de transformar um lugar sem muita personalidade em um lar único em cada detalhe só foi possível com a ajuda de Fernando Falcon, um dos sócios do Tacoa Arquitetos e melhor amigo da moradora há anos. “Como o Fernando está sempre conosco e nos conhece muito, sabia que ele poderia propor a melhor solução pessoal, afetiva e espacial”, ela diz. Se você ainda não leu o Capítulo 1, clique AQUI e confira a matéria completa. 

Acolhedora e com uma decoração que foge do óbvio, a cozinha de Roberta e Marcelo é também um ponto de encontro, um espaço desfrutado por eles e pelos amigos que sempre aparecem para um almocinho ou jantar. Uma grande porta de correr de madeira serve para integrar ou isolar o ambiente do restante da sala, porém na maior parte do tempo ela permanece aberta – assim quem está cozinhando pode interagir com os outros. Do outro lado da parede, um poema de Fernando Pessoa transcrito pelo amigo Lucas Simões dá as boas-vindas. Para completar, a bancada generosa, do jeito que o casal queria, chama a atenção com sua pedra esverdeada.

21-decoracao-apartamento-com-piso-cimento-queimado-vermelho

22-decoracao-apartamento-cozinha-integrada-paredes-pastilhas-verdes

23-decoracao-apartamento-cozinha-integrada-banquetas-lina-bo-bardi

24-decoracao-apartamento-cozinha-integrada-pastilhas-cimento-queimado-colorido

25-decoracao-apartamento-cozinha-integrada-bancada-pedra-verde

26-decoracao-apartamento-cozinha-integrada-pastilhas-verdes

27-decoracao-apartamento-corredor-cimento-queimado-lavabo

28-decoracao-apartamento-lavabo-cimento-queimado-colorido

Tanto Roberta quanto Marcelo estão sempre lendo e estudando, por isso era importante que cada um tivesse seu próprio escritório. Voltados para a varanda repleta de plantas, os dois ambientes são como pequenos universos, onde eles podem se cercar de livros, papéis e outros tesouros. “Os escritórios são nossas grutas, nossos confins íntimos. É onde passamos mais tempo vivo, criativo e intenso. No meu, há um amontoado de coisas que vou trazendo de lugares: pedras, conchas, folhas secas, objetos. Ali reina um excesso que é mais meu do que do Marcelo. Eu gosto da sobreposição, do muito, de uma quase confusão. É um espaço para perder coisas, para esquecer delas e depois reencontrá-las”, a moradora conta.

O quarto do casal, do lado oposto da sala, também traz o piso de cimento queimado vermelho que Roberta tanto ama e muitos quadros cobrindo as paredes. “Esse espaço foi o lugar que mais ‘deixamos para depois’… e esse depois ainda não chegou. Mas mudaríamos pouca coisa, ali é bom que a decoração seja mais suave, sem tanta referência”. Ao lado da cama, uma mesa de madeira antiga reúne outra paixão: as pedras e os cristais.

29-decoracao-escritorio-home-office-muitos-livros-estantes

30-decoracao-escritorio-home-office-piso-cimento-queimado

31-decoracao-escritorio-home-office-livros-detalhes

32-decoracao-escritorio-home-office-livros-poltrona-antiga

33-decoracao-escritorio-home-office-livros-estante-madeira

34-decoracao-quarto-paredes-quadros-piso-cimento-queimado

35-decoracao-quarto-paredes-quadros-piso-cimento-queimado

36-decoracao-quarto-quadros-piso-cimento-queimado-corredor

37-decoracao-quarto-paredes-quadros-piso-cimento-queimado

38-decoracao-quarto-mesa-de-cabeceira-quadros

Mil e uma histórias se encontram e se perdem pelo apartamento de Roberta e Marcelo. Além das referências vindas da infância na fazenda, da arquitetura inteligente, das plantas tomando conta dos espaços, dos cristais e dos livros que não param de se multiplicar, a decoração também tem influências do mundo árabe e do mundo lusitano, inspirações nascidas dos estudos da escritora sobre literatura portuguesa ou do amor pela azulejaria.

“Não tenho um espírito colecionador, mas eu gosto das coisas que gosto. Marcelo também. O apê tem uma juventude nossa, é um viveiro orgânico, composto por nós, as plantas, as gatas e os amigos e pessoas que frequentam a casa. À noite, acendemos as velas da sala e as lâmpadas coloridas dos abajures e nosso pequeno jardim é quase uma selva mágica”, romantiza Roberta.

fim-final

Fotos por Alessandro Guimarães

Deixe seu comentário 7 Comentários

  1. Liiiiindo! E as plantas, own!

    Responder
  2. Todo amor dessa vida por este blog!

    Responder
    • Ownnnn!!! Que amor você Sandra! Muito obrigada pelo carinho e pelo apoio, é isso o que nos impulsiona a tocar o blog com todo o amor! Beijos!!!

      Responder
  3. Vcs enchem nossa alma de alegria, sou novo por aqui, mas que grata surpresa..

    Responder
    • Oi Gustavo!!!
      Eba, seja bem-vindo. Que bom que está curtindo o conteúdo do blog, ficamos bem felizes. Obrigada pelo carinho

      Responder
  4. Extremo bom gosto em tudo nesse projeto! Sou arquiteto e aproveitando o ensejo, sabem indicar qual fornecedor do piso utilizado? Obrigado e sucesso…

    Responder
    • Oi Felipe! Tudo bom?
      Esse apartamento é realmente único… nos apaixonamos pelos espaços.
      Infelizmente não temos o nome do fornecedor do piso. 🙁 Dessa vez vamos ficar te devendo.
      Beijos!

      Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags