Vila encantada | Capítulo 1

Decoração despretensiosa e clima praiano em uma casa de vila

Enchanted Home | Part 1

Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio.

Quem dirige apressado pelas ruas do Itaim-Bibi nem nota a pequena vila de fachadas coloridas onde os empresários Marina Murari e James Smith criaram seu lar. “Eu e o James nascemos e fomos criados em casas, então não éramos aquelas crianças de apartamento. Embora eu more em São Paulo e ame essa coisa urbana e agitada, sentíamos falta das raízes: de ter quintal, plantas e espaços abertos. Foi então que achamos essa casinha e nos apaixonamos por ela”, Marina explica. Aliás, os encantos da casa são fáceis de perceber – ela tem cores alegres, uma luz gostosa, ambientes acolhedores e uma área externa que virou ponto de encontro.

Antes de se mudar para o endereço o casal precisou fazer vários reparos no imóvel alugado – afinal, nem tudo é perfeito. Segundo eles a construção estava bem vazia, com algumas paredes descascadas, mato crescendo no jardim e uma aparência meio abandonada, mas mesmo assim os futuros moradores conseguiram enxergar o potencial da casa e se animaram para transformá-la gastando pouco. Para começar, eles pintaram tudo de branco, incluindo a fachada, e adicionaram toques de vermelho nas portas e janelas. A jardinagem foi refeita e os cômodos ganharam novas prateleiras e quadros, além de muitos detalhes criativos na decoração.

Para Marina e James, viver de aluguel não significa ter uma casa sem personalidade: “Nossa maior sacada foi procurar alternativas que fizessem a diferença sem grandes investimentos, como o paisagismo, as cores e a iluminação”. Os móveis herdados de família e os mimos trazidos de viagem também ajudam a criar essa atmosfera pessoal e aconchegante. “A maioria das peças tem uma história aqui. Nossos xodós são o armarinho da sala, que era da minha bisavó e passou por todas as gerações até virar meu; a mesa lateral de tronquinho de madeira, feita pelo meu pai; e o jogo de porcelanas inglesas, um legado da minha avó paterna”, a moradora diz.

James também fez suas contribuições à decoração, a começar pelo mapa-múndi gigante na sala de jantar, trazido de seu antigo endereço. “O mapa caiu como uma luva. Amamos e ficamos pirando nos países que queremos visitar ou nos lugares que já conhecemos”, Marina conta. Além disso, todos os tapetes da casa são de sua empresa, a Tenda dos Tapetes. Com estampas e cores clarinhas, eles são outra dica bacana para quem mora em imóveis alugados, pois escondem o piso caso o acabamento não esteja em bom estado.

A cozinha é pequenina, mas cheia de itens charmosos, como o armário verde menta e a prateleira superior que deixa as panelas e utensílios do dia a dia ao alcance das mãos. Cobrindo metade da parede, o lambri de madeira pintado de branco evoca um clima de casa de praia que combina muito com o casal. Marina explica que a decoração desse e dos outros espaços vai evoluindo com o tempo e com as necessidades da rotina. “É uma casa em eterna construção. A gente vai vendo o que falta, o que fica melhor, e vamos adaptando. Tentamos deixá-la com a cara dos dois, para que ambos se sintam em casa”.

Para completar, a vida na vila tem um gostinho especial. “Aqui vemos coisas que eu nem sabia que ainda existiam. As crianças pulando elástico, brincando de amarelinha… o cachorro do vizinho que frequenta nossa casa como se fosse a dele… a troca de favores (ou ingredientes) entre os moradores… temos um ótimo convívio, algo que se aproxima a uma relação de quem vive no interior”. E isso tudo em um dos bairros mais movimentados da cidade – é, Marina e James tiraram mesmo a sorte grande.

Onde encontrar

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Fotos por Isadora Fabian, do Registro de Dia a Dia

Who drives fast by the streets of Sao Paulo don’t even notice the little borough with colorful facades where Marina Murari and James Smith created their home. “Me and James were raised in houses, so we weren’t those ‘apartment kids’. Although I live in Sao Paulo and I love this urban and agitated vibe, we missed our roots: a backyard, plants and open spaces. So, when we found this house, we fell in love with it”, says Marina. The beauty of the house is easy to see – it has happy colours, delightful natural light, cozy surroundings and a long-awaited backyard.

Before moving to the rented house, the couple made several repairs on the realty. The construction was very empty, with a few walls peeled, bush growing on the garden and an abandoned appearance, but even in this ‘worst-case scenario’ the future residents saw the potential of the house, so they decided to make changes without spending too much. They painted everything in white, including the facade, and added some red elements on doors and windows. The landscaping was remade and the rooms got new shelves and paintings, besides a lot of creative details.

According to Marina and James, living on a rental doesn’t mean having a house without personality: “Our major idea was to look for alternatives that would make a difference, but without a huge investment, like landscaping, colors and lighting fixtures”. The inherited furniture and souvenirs brought from all over the world also helped to create this personal and cozy atmosphere. “Most of our furniture have a history. Our most loved ones are the living room cabinet, which was originally from my great grandmother; the wood trunk side table made by my father; and the English porcelain set, a legacy from my grandmother”, says Marina.

James also made his own contributions to the decoration, like the giant world map brought from his old address. “The map fitted like a glove. We love it and often use it to remind the countries that we want to visit or the ones we’ve already been to”, says Marina. Besides that, all the rugs in the house are from James’s company, ‘Tenda dos Tapetes’. With cool patterns, they are another great tip for renters, since they can easily hide ugly floorings.

The kitchen is small, but filled of charming items, like the mint green cabinet and an open shelf with everyday utensils. The wood shiplap evokes a beach house atmosphere. Marina explains that their decoration evolves with time. “It’s a ‘work in progress’. We realize what’s missing, what works best, and adapt. By the end of the day, we just want to feel at home”.

“In this neighborhood, we see things that we didn’t even remember existed. Kids playing on the streets, friendly neighbors, the neighbor’s dog that visits us often… Is something close to living in the countryside”.

Deixe seu comentário 26 Comentários

  1. TUDO LINDO! AMEI E ME INSPIREI….rsrs

    Responder
  2. Gente, que casa mais fofa !!! Amo tanto que moro em uma casinha de vila.

    Responder
  3. Lindo! Desculpe sair do foco, mas alguém sabe de onde é essa sandália dela? 😡 haha

    Responder
  4. PS.: NÃO era pra ser um emoji bravo haha

    Responder
    • Oi Marcela, tudo bom?
      Hahaha, tranquilo. Imaginamos que fosse um erro de digitação, hehe.
      A sandália da moradora é da Arezzo, só não sabemos dizer se eles ainda vendem o modelo.
      Beijos!

      Responder
  5. Primeira vez que entro no blog e de cara adorei essa matéria! Me deliciei com as fotos dessa casa, e fiquei curiosa para ver mais… A parte externa, quartos, banheiros … 🙂 adorei o charme e a simplicidade!

    Responder
    • Oi Marcela, tudo bom???
      Eba!!! Seja bem-vinda ao blog. Temos muitas casas lindas já publicadas, depois dá uma olhada.
      Vamos mostrar mais fotos da casa da Marina amanhã, no Capítulo 2 (toda semana dividimos a casa em 3 matérias distintas, porque é bastante material). Amanhã volta aqui no blog pra conferir, tem área externa, quarto e banheiro! rs.
      Beijão

      Responder
  6. Adorei!
    Amo o site e fico sonhando com minha casa a cada postagem!

    Responder
    • Oi Raquel!!!
      Difícil não se apaixonar pela casa deles né? Essa é uma daquelas que a gente vai ficar namorando por um bom tempo, rsrs…
      Beijos!

      Responder
  7. Hermoso! Saludos desde Colombia

    Responder
  8. Amo esse blog! No dia em que descobri quase não consigo sair lendo tanta matéria inspiradora!
    Parabéns pelo trabalho pessoal.
    Casas para todos os gostos! Essa da Marina é apaixonante

    Responder
    • Oi Maiza!!! Que alegria e que orgulho ler esse seu comentário…
      Muito obrigada por compartilhar com a gente esse prazer em desvendar novas casas. Realmente tentamos mostrar estilos bem diferentes, para todo mundo se sentir representado, rs 🙂
      Mas confessamos que a casinha da Marina é do tipo ‘sonho de consumo’, Beijão

      Responder
  9. Combinado! Amanhã estarei por aqui de novo, ou melhor, voltarei sempre 😉 gostei muito do que vi navegando pelo blog. Sucesso!!!

    Responder
    • Ownnnn, muito obrigada Marcela!
      Espero que continue acompanhando as postagens, vem muita coisa boa por aí… 🙂

      Responder
  10. Gente, que casinha linda!!!! Uma decoração super acessível, dá vontade de copiar tudo hehehe!!! Parabéns aos moradores e parabéns Histórias de casa por mais essa seleção charmosa! Vocês sabem me dizer de onde é essa luminária pendente que está na sala de jantar??

    Responder
    • Oi Ariane!
      Pois é, o grande charme da casa é que ela é bem pé no chão! Que bom que curtiu, ficamos felizes. 🙂 Obrigada!
      A moradora nos contou que a luminária é da Tok Stok. Procuramos no site deles e não achamos, então não temos certeza se o modelo ainda está à venda, mas tomara que sim.
      Beijos

      Responder
  11. gente, essas bandeirinhas de flores estão demais! de onde são, por favor!!!

    Responder
  12. Essa é o tipo da casinha que você olha e respira fundo imagirando “quero minha casa assim”.

    Responder
  13. A pergunta que não quer calar. De onde é esse armario/cristaleira verde?

    Responder
    • Oi Natalia, tudo bom?
      Incrível esse móvel, também amamos! Ele é uma herança de família (era da bisavó da moradora!). De repente você acha em lojas de garimpo, como a À La Garçonne ou a Verniz SP.
      Boa sorte! Beijos

      Responder
  14. Linda a casa! Cheia de detalhes charmosos! Qual a dimensão do mapa-múndi na parede da sala de jantar? Bjs e continuem com esse trabalho inspirador

    Responder
    • Oi Barbara, tudo bom?
      Uma delícia essa casinha né? Infelizmente não temos a medida exata do mapa, mas assim de olho nos parece que ele tem pelo menos 1.30 metro de largura.
      Obrigada pelo carinho e por acompanhar o blog! Beijão

      Responder
  15. Olá Gente
    Amo esse site ♥
    Alguém sabe me dizer da onde é esse mapa?

    Responder
  16. Que Decoração linda, cheia de plantas e um ar bem arejado, adorei!!

    Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags