Pequenos prazeres | Capítulo 1

Um apartamento de apenas 68m² que acolhe e encanta

Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio. 

Clara Souza e Guilherme Stronzi se conheceram em um bloquinho de rua no Carnaval de 2013 e estão juntos desde então. Seu casamento está marcado para esse mês, mas já faz um ano que eles dividem o mesmo teto. O apartamento de 68 m² em Pinheiros, comprado por Clara quando os dois ainda estavam no início do namoro, foi reformado por completo para que os espaços se tornassem mais amplos e acolhedores. “O Gui acabou acompanhando tudo de perto. Por mais que ainda não falássemos em morar juntos, eu sempre pedia sua opinião, então com certeza o resultado final também tem o olhar dele”, ela conta.

Quem também teve uma participação essencial na reforma e na escolha do apê foi a irmã da moradora, a arquiteta Mariana Souza, responsável pelo projeto. “O apartamento era todo original, nunca havia sido reformado. Eu realmente queria um imóvel antigo que pudesse deixar com a minha cara, mas às vezes é difícil avaliar o potencial de um local sem ser do ramo. Por isso pedi para a Mari dar uma olhada e ela garantiu que ficaria uma graça”, Clara lembra. De fato, o apê ganhou novos contornos, mais iluminação natural e cantinhos aconchegantes que aproveitam ao máximo a metragem disponível.

O que antes eram três cômodos separados (a cozinha, a sala e o segundo quarto), se transformou em um espaço mais amplo e confortável. Durante a obra, Clara e Mari descobriram uma surpresa, ou melhor, duas: um pilar e um cano de água da chuva bem no meio do ambiente. Para driblar os empecilhos, a arquiteta sugeriu que o pilar fosse descascado, deixando o concreto à mostra, e que o cano fosse pintado de vermelho. “No final, ficou charmoso”, a moradora diz. Já o piso de tacos era algo que Clara queria desde o começo, principalmente porque a madeira iria contrabalancear os tons frios usados no restante da decoração.

Apesar de ser mais compacta que na maioria dos apartamentos, a sala acomoda bem as necessidades do casal. O ponto de partida foi a posição do sofá: “A única coisa que tinha certeza era que queria deixar o sofá ao lado da janela, para poder ficar deitada apreciando a vista”. Uma vez que o móvel principal foi definido, os moradores completaram o espaço com peças queridas, como o tapete estampado e a poltrona de couro, um achado de Guilherme. “Quando me mudei para a casa, trouxe essa poltrona antiga, comprada em um bazar. Ela estava meio detonada, então a reformei toda. Assim ela criou uma espécie de cantinho de leitura e meditação”, ele diz.

Clara e Guilherme gostam da ideia de cozinhar e ao mesmo tempo poder conversar com as pessoas que recebem em casa, sem ficarem isolados em outro cômodo, por isso a integração era um de seus sonhos. A bancada central serve para dividir as funções dentro do ambiente e pode ser usada como apoio para petiscos ou durante as refeições do dia a dia. Para deixar o espaço mais alegre, o casal decidiu fazer armários na cor azul: “Eu pensava em deixar somente um ou dois armários coloridos e o resto neutro, mas minha irmã acabou me convencendo a fazer tudo na mesma cor. Até o fim eu estava insegura com tanto azul, mas amei o resultado, não mudaria nada na minha cozinha”.

O apartamento do casal prova que a decoração não precisa ser feita com pressa – aliás, são justamente as vivências e lembranças que vão moldando a alma da casa. Das viagens que fizeram, os moradores trouxeram diferentes objetos: o tecido bordado sobre o batente do banheiro, vindo da Índia; o cinzeiro colombiano inspirado na flor de lótus; o pôster comprado em Nova York… Guilherme também conta que eles ficaram um bom tempo sem quadros na parede até criarem uma pequena coleção de obras feitas por amigos ou amigos de amigos.

Por aqui, peças de diferentes épocas e estilos se misturam sem o compromisso de combinar ou não – o que importa mesmo é que o apê traz a personalidade de Clara e Gui estampada nos detalhes…

Onde encontrar

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Fotos por Rafaela Paoli

Deixe seu comentário 8 Comentários

  1. Que apartamento mais amor! Essa cozinha é um charme, embora eu ache que a longo prazo eles vão enjoar de uma cor tão viva.

    Responder
    • Oi Samanta, tudo bom?
      Uma delícia o apê né, simples e acolhedor. Nós temos uma quedinha por cozinhas azuis, sabia? Mas realmente cores fortes precisam ser escolhidas com calma, hehe. Beijão

      Responder
  2. Ah o turquesa!
    Como não se apaixonar por essa cozinha!
    Amei! ❤️

    Responder
  3. Quanta lindeza! E essa tapete MARA da sala, de onde é?

    Responder
    • Oi Belisa, tudo bom?
      Estamos tentando descobrir a marca do tapete, mas a moradora ainda não nos passou. Quando tivermos o nome da loja a gente te avisa por aqui. Beijos!

      Responder
  4. Olá Histórias de Casa, tudo bem?

    Gostei muito da iluminação de teto que aparece na primeira e na sexta foto. Vocês sabem me dizer o nome desse modelo e/ou onde posso encontrar?

    Muito obrigado!

    Bjs

    Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags