Pequenos prazeres | Capítulo 2

Um apartamento de apenas 68m² que acolhe e encanta

A vista desimpedida para o horizonte de São Paulo conquistou Clara Souza quando ela visitou seu apartamento pela primeira vez, mas na verdade foram as possibilidades do lado de dentro que a convenceram de que esse seria seu futuro lar. Seu namorado, Guilherme Stronzi, também participou de toda a reforma, então de certo modo ele sempre fez parte do apê, mesmo quando ainda não moravam juntos. * Se você não viu o começo da história, leia antes o Capítulo 1. 

Na época em que Guilherme se mudou para o apartamento, um ano atrás, o ambiente que mais sofreu transformações foi o escritório. Isso porque ele é professor de filosofia – o que significa que seu acervo de livros não é nada modesto. Para adaptar o espaço a duas pessoas trabalhando, e não apenas uma, o casal substituiu a escrivaninha estreita de Clara por um móvel trazido do antigo endereço de Gui: o tampo veio de uma mesa que ele usava e a base são dois gaveteiros desenhados por sua mãe. Além disso, a parede principal foi ocupada por prateleiras com mãos-francesas para que todos os volumes ficassem bem acomodados e acessíveis.

Outro dos palpites de Gui na decoração é a presença das plantas. “Quando morei sozinho por um tempo, peguei gosto pela coisa. A primeira planta da casa fui eu que dei para a Clara, antes de me mudar. Desde então, tentamos manter o apê sempre bem povoado de plantinhas. Cada uma tem seu tempo e cuidados próprios, que ajudam a regular os nossos também. Enquanto cuidamos delas, elas compartilham sua beleza e seu aconchego natural”, ele diz. Mesmo sem ter tanto espaço livre, o casal conseguiu incluir o verde na rotina usando vasos de diferentes tamanhos e espécies variadas, como suculentas, cactos, floríferas, ervas e temperos.

As mudanças mais radicais da reforma proposta por Mariana Souza, irmã da moradora, também se estenderam ao quarto. Na planta original o apartamento tinha um corredor que acabava deixando tudo mais apertado, então ele foi o primeiro a sair. Esse recurso automaticamente ampliou o cômodo, mas o que fez a diferença mesmo foi a redistribuição da área do dormitório e do banheiro de serviço – agora um closet com suíte para o casal. Além das cores pontuais em acessórios e tecidos, a decoração tem a cama como destaque: “Adoro a nossa cama. Acho lindo o design dela e o tom da madeira clarinha”, Clara conta.

Enquanto correm com os preparativos finais do casamento, Clara e Guilherme aproveitam para curtir ao máximo o lar que estão construindo lado a lado. “A ideia do casamento é muito bonita. Para nós, diz respeito a essa vontade de ficarmos juntos e firmarmos isso perante pessoas e rituais importantes para nós”, ele fala.

Sem neuras, a decoração é uma mistura dos gostos e das coisas de cada um – os livros e as plantas dele, as cores e a organização dela… – mas independente dos móveis ou dos objetos, o que os dois mais amam na casa é simples: “O fato de sabermos que nos encontraremos nela”.

Onde encontrar

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Fotos por Rafaela Paoli

Deixe seu comentário 2 Comentários

  1. Que aconchego!!! Dá pra sentir a paz que habita essa casa. Gostaria de saber de onde são os futons…

    Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags