No alto do Copan | Capítulo 1

Apartamento de estilo industrial no prédio mais famoso de São Paulo

Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio. 

Erguido bem no centro da cidade, com uma estrutura de concreto gigantesca e mais de 1000 apartamentos, o Edifício Copan é o maior símbolo da urbanidade de São Paulo. Em meio ao vai e vem acelerado de moradores que se cruzam pelos corredores, estão Rodrigo Adam, diretor de arte, e Mariana Ventura, digital producer. O casal vive em um apê de 69m² praticamente todo integrado e com uma vista de tirar o fôlego: quem entra pela porta é recebido com janelas de ponta a ponta que revelam toda a amplitude do horizonte paulistano. E como se isso não bastasse, a decoração tem um clima industrial com jeitão de loft.

Rodrigo e Mari se conheceram há um bom tempo por conta do trabalho, mas só foram se cruzar novamente alguns anos depois. “Nos reencontramos na festa de um amigo e foi paixão à segunda vista. Ficamos a noite toda batendo papo e bebendo vodka com suco de uva porque era a única coisa que ainda tinha para beber. Não nos separamos mais, mas paramos de beber vodka com suco de uva”, ele brinca. Foi por volta dessa época que Rodrigo começou a reforma no apê com a ajuda de sua mãe, a arquiteta Naya Adam, então Mari acabou acompanhando tudo desde o começo. Apesar de não exercer a profissão, Mari é formada em design de interiores, por isso ela também participou das escolhas do projeto.

Na verdade Rodrigo já morava no Copan em outro apartamento, mas quando soube que esse estava disponível ele logo foi conferir se o espaço tinha potencial – e dá para ver que tinha. “O apê estava praticamente original. Era dividido em 3, com um quarto grande, uma sala do mesmo tamanho e uma outra área com a cozinha e o banheiro, mas eu sabia que poderia abrir ele inteiro. E sempre quis um lugar abertão”, ele fala. Com uma vista tão incrível, a última coisa que Rodrigo queria eram paredes bloqueando o olhar, então a decisão de unir tudo foi muito baseada na paisagem.

Além de integrar os ambientes, o morador aproveitou a deixa para trocar revestimentos e refazer toda a elétrica e hidráulica, uma vez que o prédio é antigo. “O fato de ter mãe arquiteta ajudou bastante. Ela fez o projeto e eu como curioso e cliente chato dei um monte de pitaco. No fim das contas, acabamos tendo várias ideias legais para o apê juntos”, Rodrigo conta. Uma das surpresas interessantes da obra é o teto de concreto, descoberto por acaso quando o antigo forro de estuque foi removido – de quebra, o pé-direito do apartamento ficou mais alto.

É fácil perceber que o estilo industrial foi o ponto de partida para a decoração, porém o casal não queria abrir mão da sensação de aconchego. E foi aí que entrou o olhar de Mari: ela trouxe tapetes, almofadas e muitas plantas para deixar os espaços com mais vida. O apê também é cheio de achadinhos despretensiosos, como o orelhão que virou interfone, a placa de trânsito caída da rua, as cadeiras vindas de um antigo cinema de Piracicaba, um armário de mecânico no escritório, o cavalete de pintura…

A vista para os prédios, o concreto, a bike ao lado do sofá, os armários de metal e o Copan. Daria para ser mais paulistano do que isso? Urbano, sim, mas com muito afeto também. “Cada detalhe do apê reflete a personalidade de ambos. Tem um pouco meu e um pouco da Mari. Fomos acrescentando elementos que têm a ver com a gente e tudo acabou dando certo junto. Tem um pouquinho dos dois para que nos sentíssemos confortáveis e em casa”, Rodrigo fala. * Gostando do tour pelo apartamento? Então confira o Capítulo 2 clicando abaixo.

Onde encontrar

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Fotos por Alessandro Guimarães

Deixe seu comentário 6 Comentários

  1. Só maravilhoso! Só isso!

    Responder
  2. Não tem cozinha?

    Responder
  3. Morei 7 anos lá mas pediram o apto, tenho saudds. Muito bem aproveitado os espaços e a decoração ficou showw!! (Agora comprei meu apê aqui no Edif Esther)

    Responder
    • Oi Alda, tudo bom?
      Que legal que morou lá também, deve ter sido bacana. O Ed. Esther também é demais! Parabéns pelo apê novo, rs. Beijos

      Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags