Por que ter plantas em casa?

Um antes e depois que prova o impacto das plantas nos espaços

É impossível negar a influência positiva das plantas sobre as pessoas e os espaços em que vivem. Para celebrar essa relação e incentivar o cultivo dentro e fora de casa, convidamos a Selvvva e a Escola de Botânica a compartilhar aqui no blog algumas dicas preciosas sobre o tema. Olha só… 

Por que ter plantas em casa? Essa pergunta poderia ter inúmeras respostas, ou apenas uma: porque elas fazem bem. Segundo Denise Yui e Julia Rettmann, idealizadoras da Selvvva e defensoras de um mundo mais verde, ter uma planta é ter outra vida habitando o mesmo espaço. “Isso preenche o lugar e traz muito aconchego. Nós acreditamos que as plantas transformam profundamente um ambiente, pois assim ele passa a sensação de estar vivo e habitado”, elas dizem. De fato, o poder da natureza de influenciar nosso humor e bem-estar é comprovado cientificamente.

A vontade de retomar a intimidade com o verde tem crescido a cada dia, principalmente nas grandes cidades, onde as pessoas vivem confinadas em cômodos fechados. Cultivar plantas em casa é encontrar um tempo de calmaria em meio à rotina, é fugir da artificialidade do mundo e valorizar o natural, é lembrar que a simplicidade pode ser linda… “O contato com a natureza em casa nos remete a uma sensação de pausa e distanciamento do nosso cotidiano urbano, criando um refúgio dentro do próprio lar”.

Antes & Depois

Para provar o impacto que as plantas causam em um espaço, fizemos uma brincadeira divertida com a Selvvva: um ‘antes e depois’ de uma sala de jantar – primeiro com apenas um vasinho e depois com uma verdadeira selva. O resultado? Uma composição rica em cores, texturas e sensações. “As plantas tiram a aridez do ambiente, trazem frescor”, Denise e Julia explicam. Além disso, algumas espécies também atuam como purificadoras do ar, melhorando o clima da casa. “Na decoração, as plantas são um elemento muito interessante, pois se desenvolvem organicamente. Elas são vivas e se transformam, gerando formas inesperadas, diferentemente dos outros objetos de uma casa. Elas têm seu ritmo próprio”, a dupla completa.

ANTES: uma decoração bonita, porém com pouca vida
DURANTE: aos poucos as plantas vão ganhando espaço
DEPOIS: uma verdadeira selva particular dentro do apê!

Dicas importantes

  • Qual o primeiro passo para quem quer começar a cultivar plantas em casa?

Selvvva: O primeiro passo é adotar alguma planta, sem medo de errar. Muita gente se inibe com a ideia de que não tem o dom. E o dom com as plantas tem mais a ver com conhecimento, que se constrói. É necessário educar o olhar para ler os sinais que elas nos dão e aos poucos ir conhecendo as diferenças de cuidado entre cada uma.

  • Como saber quais são as espécies mais indicadas para cada casa?

Selvvva: A escolha das espécies depende das condições de luz e umidade de cada ambiente. Antes de escolher uma planta para um cantinho específico, preste atenção se bate sol direto naquele ponto e em quais horários, pois quanto mais próximo do meio-dia, mais forte é o sol. Existem plantas que não gostam de tomar sol direto e plantas que precisam de sol. A rega também varia de acordo com a espécie. No geral, prefira plantas adequadas à sua rotina: quantas vezes você consegue regar na semana também é um fator importante na hora de escolher.

Uma dica legal para entender uma planta é pensar em como ela se encontra na natureza. Se é uma planta de deserto, normalmente não gosta de umidade e gosta de muito sol. Se a espécie se prolifera embaixo das árvores na mata, provavelmente gosta de luz filtrada e bastante umidade nas folhas.

  • Como escolher o tamanho do vaso em relação ao porte da planta? Existe algum segredo?

Selvvva: Para escolher um vaso é importante entender como se desenvolve a planta que queremos plantar: se o seu crescimento é mais vertical, sua raiz tende a ser mais profunda; se o seu crescimento é horizontal a raiz tende a ser mais superficial e espalhada. Isso influencia na profundidade e largura do vaso que poderemos escolher para cada planta. O pote de plástico em que cada espécie é comercializada já dá a dica de como a raiz se comporta.

Ao trocar o vaso de uma planta é muito importante não diminuir o tamanho do torrão. É legal observar o porte da espécie que queremos plantar e procurar um vaso que dê algum espaço a mais para sua raiz crescer, estimulando seu desenvolvimento. Outra vantagem de aumentar um pouco o vaso é que um maior volume de terra também ajuda a manter a umidade do solo. Não é necessário, no entanto, colocar a planta em um vaso desproporcionalmente maior do que o seu torrão, esperando que ela cresça um dia e ocupe todo aquele espaço. É interessante tentar manter um equilíbrio visual entre a planta e o vaso.

Gostou das dicas? Mês que vem tem mais! E se você tiver alguma dúvida sobre plantas, é só comentar aqui que nós e a equipe da Selvvva respondemos. ❤

Fotos por Gisele Rampazzo

Deixe seu comentário 7 Comentários

  1. Oi meninas! Muito bom, adorei a ideia do post. 🙂
    Uma dúvida: qual o nome dessa planta no piso (com folhas meio roxas) na antepenúltima foto?
    Bjos

    Responder
    • Oi, tudo bom? Eba!!! Legal saber que curtiu. Essa planta que comentou se chama lambari-roxo! Beijos

      Responder
  2. Gente, pq vcs não fizeram isso na minha sala??? rsrsrs… como faz pra ter tb? 🙂 rs Tá lindoooo… parabéns… amo o trabalho de todos vcs

    Responder
    • Hahahaha, muito legal né? A transformação é palpável… Nada como um pouco de natureza para revitalizar uma casa. Ficamos felizes que tenha gostado, nos próximos meses tem mais novidade na coluna! ❤

      Responder
  3. A matéria é inspiradora, mas tô tentando aplicar em casa e tô sofrendo para encontrar plantas maiores que não sejam tóxicas para as gatinhas. A maioria das matérias fala as que são tóxicas, mas ninguém diz as que são seguras. Estou com peperomias e marantas por enquanto. Fica a sugestão interesseira de pauta hehehe
    Beijo

    Responder
    • Oi Juliana, tudo bom???
      Obrigada pela dica! Nas pautas futuras, nossa ideia é dar um breve descritivo sobre cada espécie, incluindo dizer se são venenosas para crianças ou animais. Realmente é uma dificuldade, né? Aqui em casa tenho duas gatas e já tive que dar plantas embora porque só depois descobri que eram tóxicas.
      O que funciona aqui na minha casa é: tenho cactos grandes que elas evitam mexer, tenho uma planta que chama Clúsia que eles também não dão muita bola, tenho Pacová… E em uma prateleira mais alta coloquei Jiboia (que elas amam morder) e Peperômia. Aqui em casa a Maranta virou salada, comeram tudo! Bom, espero ter ajudado um pouco. Mas vamos ficar atentas para incluir isso nas matérias sim!!!
      Beijos, Bruna

      Responder
  4. amo plantas eu as trato como se fosse membro da família

    Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Jardim urbano

Tags