Lugar de aconchego | Capítulo 1

Uma decoração despretensiosa e cheia de história em um apartamento alugado

Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio. 

Dizem que não é bom investir em reformas quando se mora de aluguel, mas e se você gosta muito do lugar e está disposto a torná-lo melhor? A designer gráfico Maria Eugênia Gattaz e o arquiteto Thomas Papa De Boer, sabem bem como é viver esse dilema. Os dois se apaixonaram por um apartamento dos anos 40 que estava para alugar, porém alguns cômodos precisavam de mudanças consideráveis. Sem poder gastar muito com um projeto mirabolante, eles focaram seus esforços em ajustes que teriam um grande impacto visual, mas com baixo investimento. Um exemplo? A parede de tijolos descascada na cozinha.

“Na primeira visita, foi tiro e queda, o apartamento nos conquistou na hora”, eles brincam. O predinho de esquina se chama Edifício Maria Helena e tem uma varanda estreita, mas espaçosa o suficiente para o casal montar seu jardim. Outros dois detalhes que chamaram a atenção foram o piso de madeira e o banheiro de serviço convertido em lavabo. Por ser uma construção antiga, a planta original era um tanto insólita, porém com bastante potencial – e para a sorte de Eugênia e Thomas, um dos quartos já havia sido integrado com a sala em uma reforma anterior.

Antes de se mudar de fato para o apartamento – com nenhum móvel além da cama e do rack, o casal fez suas adaptações. Das menores, como trocar lâmpadas e luminárias, às mais significativas, sendo a parede descascada da cozinha e o passo-prato criado entre o cômodo e a sala de jantar. Ainda assim, um quebra-quebra mais contido do que na maioria das reformas. “Fizemos o básico para ficar legal com pouco e investimos mais na decoração –– simples, mas com nosso jeito” contam. O checklist da reforminha ainda incluiu uma pintura geral, o reparo de vazamentos e até a colagem de alguns tacos soltos no piso.

No fim das contas, a cozinha virou o grande xodó de Maria Eugênia e Thomas. “Tiramos proveito da parede de tijolos para fazer uma decoração com um viés mais rústico, como nas fazendas de café do interior paulista. Isso nos fez economizar dinheiro, porque as cozinhas tradicionais requerem muita marcenaria, e isso sai caro”, o casal explica. Para completar esse clima que lembra o campo, os utensílios e ingredientes mais usados no dia a dia ficam à mostra em caixotes, móveis sem portas ou mesmo no peitoril da janela.

Com portas charmosas que dão acesso à varanda, a sala mistura trabalho e lazer com harmonia. Usando dois cavaletes e um tampo de vidro, o casal conseguiu montar um home office que ocupa pouco espaço, mas ajuda a organizar livros e papéis sem pesar no visual. Na pequena sacada, a área também foi otimizada para acomodar um bom número de plantas e ainda assim ser um local onde os moradores podem curtir o final do dia. Treliças de madeira permitiram que o jardim fosse verticalizado, deixando a passagem livre.

Seguindo uma linha de decoração que preza pela simplicidade e pelo aconchego, Maria Eugênia e Thomas transformaram seu apartamento alugado em um lar que inspira tranquilidade. “Como casal, essa seria a nossa primeira experiência de moradia definitiva em conjunto. Dessa forma, queríamos algo que tivesse a nossa cara. Algo novo, porque teríamos uma vida nova pela frente.  E algo que fosse decidido a dois, assim como as importantes decisões a partir dali. Gostamos de coisas simples, bem-feitas, como arroz e feijão. Gostamos de misturar minimalismo com alguns toques rústicos, usando a regra do menos é mais”, eles falam. Menos excessos, e mais carinho por cada uma das peças da casa. * Gostou do apartamento? Então veja mais na matéria de amanhã, o Capítulo 2.

Fotos por Isadora Fabian, do Registro de Dia a Dia

CONTINUA

Onde Encontrar

Peças inspiradas nessa história

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


COMENTÁRIOS # 16

  1. Vocês sabem de onde é esse porta rolos de papel da cozinha?

    Responder
  2. Eu tô apaixonada pela cor das paredes. Puro aconchego. Se puderem me dizer qual marca/nome acharia ótimo! A propósito, matéria linda.

    Responder
    • Oi Giovanna, tudo bom?
      Essa cor da parede está legal mesmo. Estamos tentando descobrir o nome com os moradores. Aí te avisamos.
      Beijos

      Responder
    • Oi! O morador acabou de passar as infos aqui no post.
      Segue > Código cor: Origami White / Marca: Sherwin Williams / Tipo: Látex fosco a base d’água. Beijos

      Responder
  3. Olá, de onde sas os móvéis da cozinha? Obrigada

    Responder
  4. Estou muito apaixonada por este apê

    Responder
  5. Sensacional

    Responder
  6. leve e simples, como deve ser a vida.
    parabéns ao casal e ao autor das fotos

    Responder
  7. Código: Origami White
    Marca: Sherwin Williams
    Tipo: Látex fosco a base d’água

    Responder
  8. Gente do céu! De onde é esse sofá?
    Ele é da cor que eu estou procurando e meu deu vontade de deitar nele só de olhar! Hahaha!

    Responder
  9. Queria MUITO saber de onde são os quadros acima do sofá da sala!

    Responder
    • Oi Livia, tudo bom?
      De quais você gostou? Podemos tentar sondar com a moradora, mas ela compra muitas obras em feiras de arte ou editoras independentes, pois trabalha com isso.
      Beijos

      Responder

NOS VEMOS NO INSTAGRAM
@historiasdecasa