Praia particular | Capítulo 2

Cores, luz e móveis despretensiosos em um apê com clima de férias

Se não fosse pela paisagem que denuncia estarmos em São Paulo, seria fácil acreditar que o apartamento do publicitário Cristiano Pio de Almeida fica de frente para o mar. O piso branquinho lembra as areias da praia, os móveis são despojados e a profusão de plantas reforça a ligação do morador com a natureza. E tem também o sol, é claro: “O que eu mais curto no apê é o sol da manhã. É inacreditável”, ele diz. * Perdeu o Capítulo 1? Então veja o post anterior AQUI.

Construído na década de 1940, o prédio conta com varandas generosas nos apartamentos da cobertura – no caso de Cristiano, a área descoberta forma um L ao redor da sala e dos dois quartos, então o publicitário pode acessá-la por três aberturas distintas. Apesar do grande potencial, a varanda passou anos abandonada antes de ele se mudar para o imóvel. “O espaço estava velho e sem uso. Comprei vasos de cerâmica, plantas e árvores e elas mesmas se encarregaram de ficar lindas”. Para complementar a atmosfera de ‘casinha com quintal’, o morador instalou treliças brancas em alguns trechos do guarda-corpo de alvenaria.

Cristiano tem uma rotina de trabalho intensa e passa horas em frente ao computador, mas com muita imaginação e alguns galões de tinta ele conseguiu suavizar o clima do home office para que o ambiente virasse um lugar mais prazeroso. Ao invés de criar um espaço todo branco e com pouca informação visual, o publicitário fez o caminho contrário – as paredes, o teto e até alguns móveis do escritório foram pintados de verde para que a decoração remetesse à natureza e trouxesse mais frescor ao dia a dia. “Eu sou um esteta. Gosto de cor e de ver a vida nos detalhes: minha casa é isso”.

Em seu quarto o morador usou novamente o recurso da tinta colorida, porém dessa vez o tom escolhido foi o Azul Arara e a pintura se limitou às paredes que cercam a cama. Simples e confortável, o ambiente também traz referências da praia, como a espreguiçadeira de madeira ou a pequena palmeira plantada em um vaso.

Cristiano conseguiu, como poucos, usar a decoração para traduzir sua personalidade e também seus sonhos. Segundo ele, o segredo é saber o tamanho do espaço que você ocupa no universo e criar um lar que acomode isso. “Quando chego em casa, pareço ser abraçado por ela.  É uma delícia essa relação de afeto e a energia que ela me dá”. Concorrido entre os amigos e palco de muitas festas animadas, o apê está sempre pronto para mais um verão – faça chuva ou faça sol.

Onde encontrar

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Fotos por Gisele Rampazzo

Deixe seu comentário 4 Comentários

  1. Oi queridos,
    Já faz um tempo que os itens da “onde encontrar” não são os mesmos das casas… esse banco vermelho não é o mesmo modelo… já vi cristaleira da Meu Móvel de Madeira completamente diferente do que estava na casa da matéria… no geral, não são tão interessantes quanto os objetos das casas, vale um cuidado maior nesse assunto… um bjo

    Responder
    • Oi Fernanda, tudo bom?
      Obrigada pela sugestão, mas a ideia do Onde Encontrar sempre foi sugerir produtos similares aos usados nas casas, e não necessariamente iguais. Muitas das casas têm produtos garimpados ou que estão com os moradores há anos, então alguns deles podem ter saído de linha ou serem difíceis de achar. Por isso indicamos peças parecidas ou com o mesmo clima. 🙂
      Beijos!

      Responder
  2. Simplesmente amo o site. Como leitora assídua, gostaria de sugerir que informassem a metragem das casas visitadas e que também mostrassem a lavanderia, pois sempre é possível copiarmos alguma ideia dessas lindas e reais moradias. Parabéns à equipe pelo belo trabalho.

    Responder
    • Oi Rôsilene, tudo bom?
      Ownnn, que delícia saber que você acompanha o blog sempre. Obrigada!!! 🙂
      Adoramos a sugestão de incluir a metragem (nos primeiros textos sempre colocávamos, mas depois acabamos parando, rs). Esse apê tem 150m², mas vou me atentar para incluir essa info nos próximos posts. Sobre as lavanderias, dificilmente fotografamos pois elas costumam ser menores, então os fotógrafos não têm muito recuo, mas vamos tentar incluir sempre que possível.
      Obrigada!!! Beijão

      Responder

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Categoria

Histórias

Tags