Casa bem vivida | Capítulo 2

Muitas memórias e peças com história formam o apê da fotógrafa Bel

Há quem não goste muito de mudanças, mas para a fotógrafa de moda Isabel, cada fase diferente traz bons aprendizados. Depois de morar em Paris e em Nova York por quase duas décadas, ela precisava do desafio de uma nova cidade, então veio para São Paulo com o coração aberto e muitas expectativas. Bel teve a sorte de cruzar com um apartamento amplo e luminoso que ia de encontro ao que buscava, mas foi preciso ajustar alguns detalhes aqui e ali com uma reforma certeira antes da mudança final.

Um dos espaços mais modificados na obra foi a cozinha, onde a moradora teve que começar do zero. Segundo ela, o ambiente era o mais detonado de todos. “Em cima da pia, antes tão baixa que parecia de casa de boneca, tinha uma torneira que saía de dentro de um buraco na parede!”, lembra. Junto com seu amigo Gabriel, que na época morava com ela, Bel bolou minuciosamente como seria esse cômodo. Apesar de não gostar muito de cozinhar, a fotógrafa fez questão de criar um lugar bem convidativo para receber os amigos e filhos.

“Gosto do aspecto de sala que a cozinha tem. Com o pôster de flores, o abajur que comprei em Paris quando tinha vinte anos, os objetos nas prateleiras, o quadro na parede…”. Aliás, Bel acredita que os objetos, os livros e as plantas são sempre bons aliados para trazer personalidade a um espaço sem necessariamente botá-lo abaixo.

Bem espaçoso e com uma cama que é um verdadeiro convite ao descanso, o quarto de Bel tem um pouquinho de tudo o que ela mais gosta. Apesar da parede escura, o ambiente é iluminado e muito agradável, e ainda conta com um pé-direito mais alto. “Adoro minha cama, poderia passar dias lendo nela. O problema é que os cachorros também a adoram”, a moradora brinca. Na hora de escolher a cor da tinta, a fotógrafa optou por um cinza azulado que traria paz e aconchego – e é justamente essa a sensação transmitida pelo quarto.

O segundo quarto é utilizado por Bel como um home office, mas também tem uma cama. Aliás, essa peça de ferro é um dos xodós da moradora e foi comprada de uma amiga antiquária que comentou que ela pertencia a uma senhora muito chique que teria sido amante de D. Pedro II. Sobre a mesa de trabalho fica o moodboard da fotógrafa, uma área em constante mudança. “Eu gosto do ambiente de sala de aula que esse quarto tem, me dá a sensação de proteção da infância”, Bel fala.

Desde criança Bel opinava na decoração da casa, pois sua mãe a incentivava a participar das escolhas, então esse talento natural para compor espaços é algo que a acompanha há tempos. Somam-se a isso o olhar talentoso de fotógrafa e uma grande bagagem de viagens e descobertas, culminando em um apartamento que tem de tudo um pouco e carinho de sobra.

Fotos por Isadora Fabian, do Registro de Dia a Dia

Onde Encontrar

Peças inspiradas nessa história

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 7

  1. Como não amar esse apartamento?

    Responder
  2. Essa casa é perfeita! Mas o que me pegou de jeito foram os pôsteres do filme com a Jeanne Moreau e o cartaz japonês com o rosto da Brigitte Bardot. Apaixonante.

    Responder
  3. Noooossa ameeei esse azul da parede do quarto. Vcs sabem qual a é a cor? Parabéns pela matéria, ta linda!

    Responder

NOS VEMOS NO INSTAGRAM
@historiasdecasa

[instagram-feed]