Todos os sentidos | Capítulo 2

Um casal que criou um lar acolhedor e com clima zen usando boas ideias

Os detalhes sempre fizeram diferença para Paloma Christiansen e Kiko Rath. Ela é designer de interiores, artesã e professora de yoga; ele é modelo e se arrisca em projetos manuais de vez em quando, mas os dois parecem ter uma boa intuição quando o assunto é transformar um espaço simples em um lar cheio de afeto e aconchego. Seja no Rio ou em São Paulo, em uma casa ou um apartamento, o casal vive em busca de uma rotina mais leve e feliz. Depois de um tempo morando em um lugar onde não podiam mexer em nada na arquitetura, eles aprenderam a usar acessórios para trazer vida e personalidade à decoração.

“Minha casa é meu templo, é onde me recarrego… então ela tem que estar em harmonia para tudo funcionar bem. Pesquiso muito sobre Feng Shui e tento aplicar como posso. Me conecto um pouquinho com tudo, temos cristais, incensos, santos, deuses, imagens que representam algo positivo. Isso me inspira, nos inspira, para levar aquela harmonia de dentro para fora de casa, para as pessoas ao nosso redor, para o nosso trabalho”, Paloma diz.

Além de estar recém-reformada e de ter um projeto que vai de encontro ao estilo do casal, a casa alugada ainda pôde ser adaptada facilmente às necessidades profissionais de Paloma. No andar de cima, três pequenos cômodos comportam seus diferentes trabalhos: um escritório compacto onde ela guarda materiais e faz projetos, a varandinha onde dá aulas particulares de yoga ao ar livre e um espaço que funciona como ateliê/quarto de hóspedes. Nesse último ambiente, canos de cobre pendurados no teto servem de suporte para seus trabalhos de macramê. Paloma brinca que os amigos que se hospedam lá já estão acostumados com o ateliê e dormem como pedras, afinal estão cercados de filtros dos sonhos.

Ela descobriu essa paixão há uns três anos, quando sua sogra lhe deu um bastidor de presente e dele surgiu seu primeiro filtro dos sonhos. “Com o tempo começou a dar certo e segui adiante sem saber muito para onde iria. Fui pesquisando mais a respeito e nessas buscas descobri o macramê, que eu sempre amei, mas não sabia nem como chamava. Procurei diversos cursos e não achei, então resolvi aprender sozinha com vídeos na internet, mas fui aprendendo no acerto e erro, até me aperfeiçoar. Agora resolvi passar isso adiante dando cursos. Ao invés de guardar esse conhecimento só para mim, quero mesmo é espalhar, para que essa arte nunca se perca”, conta.

Texturas acolhedoras não poderiam faltar no quarto de Paloma e Kiko. Em primeiro lugar vem a madeira, que para eles é uma forma de sentir a natureza no ambiente, além das plantas para purificar e das artes de amigos na parede trazendo boas lembranças. “Como não queria mexer em nada da arquitetura, pois a casa é alugada, decidi trazer os contrastes com as texturas e objetos. No fim, nosso quarto reflete meu lado calmo, zen, bem clean. Gosto de quartos que abraçam”, ela fala.

Paloma e Kiko acreditam que não dá para a casa ser bonita, mas sem funcionar. Eles gostam mesmo é de casa de verdade, onde todos os cômodos esbanjam vida e são utilizados da melhor forma. E também não pode faltar amor, é claro. Todo o amor que eles colocam em seu lar, nos mínimos detalhes, dia após dia.

Fotos por Isadora Fabian, do Registro de Dia a Dia

ONDE ENCONTRAR

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


COMENTÁRIOS # 2

  1. Muito natural, as fotos da parte I e II transmitem uma paz, cara…. Inspirei.

    Responder

NOS VEMOS NO INSTAGRAM
@historiasdecasa